Rihanna

Lula

Flamengo

Sindicato é uma agremiação fundada para a defesa comum dos interesses de seus aderentes. Os tipos mais comuns de sindicatos são os representantes de categorias profissionais, conhecidos como sindicatos laborais ou de trabalhadores, e de classes econômicas, conhecidos como sindicatos patronais ou empresariais.

O termo "sindicato" deriva do latim syndicus, proveniente por sua vez do grego sundikós, que designava um advogado, bem como o funcionário que costumava auxiliar nos julgamentos. Na Lei Le Chapellier, de julho de 1791, o nome síndico era utilizado com o objetivo de se referir a pessoas que participavam de organizações até então consideradas clandestinas.

 

 
Uma manifestação de vários sindicatos em Brasília.

O sindicalismo tem origem nas corporações de ofício na Europa medieval. No século XVIII, durante a revolução industrial na Inglaterra, os trabalhadores, oriundos das indústrias têxteis, doentes e desempregados juntavam-se nas sociedades de socorro mútuos.

Durante a revolução francesa surgiram ideias liberais, que estimulavam a aprovação de leis proibitivas à atividade sindical, a exemplo da Lei Chapelier que, em nome da liberdade dos Direitos do Homem, considerou ilegais as associações de trabalhadores e patrões. As organizações sindicais, contudo, reergueram-se clandestinamente no século XIX. No Reino Unido, em 1871, e na França, em 1884, foi reconhecida a legalidade dos sindicatos e associações. Com a Segunda Guerra Mundial, as ideias comunistas e socialistas predominaram nos movimentos sindicais espanhóis e italianos.

Nos Estados Unidos, o sindicalismo nasceu por volta de 1827 e, em 1886, foi constituída a Federação Americana do Trabalho (AFL), contrária à reforma ou mudança da sociedade. Defendia o sindicalismo de resultados.

Papel político dos sindicatos

No plano político, os sindicatos detêm uma força considerável: na Alemanha, Reino Unido, Áustria e nações escandinavas a vinculação com os partidos políticos socialistas e trabalhistas confere aos sindicatos forte referência na formulação de diretrizes e na execução de política econômica. Os dirigentes sindicais são eleitos para cargos legislativos, e o principal instrumento de política sindical é a negociação coletiva. No Brasil, os sindicatos sempre foram instituições economicamente dependentes

Comemorar o Dia do Propagandista é celebrar o dia da comunicação interpessoal na área médica.

O profissional que diariamente visita os médicos, levando as mais novas informações sobre os avanços da indústria farmacêutica, é, na verdade, umpropagandista da saúde. É ele quem,
muitas vezes, permite aos médicos conhecerem melhor os mais inovadores medicamentos criados para curar, diminuir ou eliminar a dor e prolongar ou melhorar a qualidade de vida.


Não se descobriu ainda meio mais eficaz para levar as novidades da indústria à classe médica, devido às limitações impostas pela legislação que regula a propaganda de produtos
farmacêuticos no Brasil. Assim, o propagandista assume papel fundamental no diálogo entre os laboratórios e o profissional de saúde. Sempre ávido por novidades e provas dos benefícios do medicamento ao paciente, o médico tem nele o elo essencial para sua atualização. Se, por um lado, o médico passa no mínimo seis anos na universidade e mais alguns na especialização, por outro, o propagandista também encara um intenso período de treinamento para conhecer cada detalhe dos medicamentos e das doenças às quais se destinam. Por força das circunstâncias, não raro é um profundo entendedor de temas que vão da pediatria à geriatria, dialogando de igual para igual com o médico, pois, para desempenhar o seu
papel com maestria, também domina uma sólida base científica, além de ser um especialista em comunicação.

Para formar esses peritos – em tempos em que a agilidade da informação é determinante para o sucesso do negócio –, a indústria utiliza, cada vez mais, diferenciadas ferramentas de
treinamento e investe pesado na capacitação desses profissionais. A tecnologia foi definitivamente incorporada à rotina de trabalho dos propagandistas, conferindo muito mais dinamismo à sua formação. Podcasts, webcasts, SMS e cursos online, acessíveis por meio de multifuncionais portáteis a qualquer hora e em qualquer lugar, aliados aos tradicionais treinamentos
presenciais, permitem ao profissional estar sempre atualizado e conectado com o laboratório, acessando informações relevantes para o desempenho da função e provendo o escritório com dados estratégicos sobre os desafios enfrentados diariamente no campo.


Assim, os resultados de um estudo clínico apresentados em um prestigiado congresso científico internacional chegam no minuto seguinte ao propagandista, que imediatamente passa a
transmitir essa valiosa informação aos médicos, que não puderam participar do evento. Nesse contexto, ele cumpre papel fundamental na atualização do profissional de saúde, dando subsídios para o médico definir a melhor estratégia terapêutica para cada paciente. É ele também quem primeiro identifica as ofensivas da concorrência e ajuda a traçar as estratégias de contra-ataque. Nem mesmo no aconchego do lar o propagandista consegue se desligar do trabalho, pois, muitas vezes, precisa armazenar em casa as amostras grátis que distribuirá aos médicos. Geralmente, o principal executivo de um laboratório é um ex-propagandista que fez carreira, passando por todos os escalões da empresa. Isso acontece porque o desempenho da função pressupõe certas características e habilidades, como ética, responsabilidade, credibilidade, persistência, dedicação, flexibilidade, carisma, relacionamento interpessoal, facilidade
de comunicação, gerenciamento de tempo, administração de custos, entre outros aspectos também valorizados em um líder.

Os funcionários que trabalham intramuros, nos departamentos de Recursos Humanos, Financeiro, Jurídico, Marketing, Comunicação, Pesquisa e Desenvolvimento, Médico e Produção
também podem trilhar uma carreira excepcional na indústria farmacêutica, chegando ao topo das corporações. Mas, para que desempenhem o cargo de presidente em sua plenitude, o
ideal é que vivenciem o dia-a-dia extramuros, ou seja, precisam duelar no campo de batalhas, no qual as ideias da empresa são difundidas, os seus produtos se materializam em alívio do
Jorge Raimundo é Presidente do Conselho Consultivo da Interfarma – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa.

Sofrimento ou esperança e a sua imagem é construída dia após dia. Tanto nas capitais quanto nas pequenas cidades do interior, quando o propagandista entra no consultório
para desenvolver o seu trabalho, ele representa não apenas a companhia que o emprega, mas toda a indústria farmacêutica. Perante o médico, ele é o laboratório e personifica a imagem
do setor. Um verdadeiro herói anônimo, o propagandista, muitas vezes, é chamado pelo médico pelo nome do laboratório que representa. Incorpora toda a infraestrutura e todo o conhecimento acumulado pela companhia ao longo de anos e tem a árdua missão de, em poucos minutos, transmitir todo esse arcabouço em uma mensagem clara, objetiva e convincente
que possa se concretizar em prescrição. Receita que reflete não só a qualidade dos medicamentos e a confiança do médico na escolha de produtos seguros e eficazes, mas, acima de tudo, o trabalho incansável desse profissional em comunicar as inovações da indústria. Comemorar o Dia do Propagandista é celebrar o dia da comunicação interpessoal na área médica. É celebrar a luta para minimizar a dor, melhorar e prolongar a qualidade de vida ou curar doenças. Em suma, é celebrar a saúde.

 

Jorge Raimundo é Presidente do Conselho Consultivo
da Interfarma – Associação da Indústria Farmacêutica
de Pesquisa.
E-mail: interfarma@interfarma.org.br

Olimpíadas 2016

Dia dos Namorados

Dia dos Namorados, em alguns países chamado Dia de São Valentim é uma data especial e comemorativa na qual se celebra a união entre casais e namorados, em alguns lugares é o dia de demonstrar afeição entre amigos. Sendo comum a troca de cartões e presentes com simbolo de coração, tais como as tradicionais caixas de bombons. Em Portugal e em Angola, assim como em muitos outros países, comemora-se no dia 14 de Fevereiro. No Brasil a data é comemorada no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo António de Lisboa, conhecido pela fama de "Santo Casamenteiro". 

Origem

Dia de São Valentim cai num dia festivo de dois mártires cristãos diferentes, de nome Valentim (padre de Roma condenado à pena capital no século III ). Mas os costumes relacionados com este dia provavelmente vêm de um antigo festival romano chamada Lupercalia, que se realizava todo dia 14 de fevereiro. A festa celebrava a fertilidade homenageando Juno (deusa da mulher e casamento) e Pan (deus da natureza) Também marcava o início oficial da primavera.[6]

História

A história do Dia de São Valentim remonta a um obscuro dia de jejum tido em homenagem a São Valentim. A associação com oamor e romantismo chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.

bispo Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.

Continuou celebrando casamentos, apesar da proibição do imperador. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens lhe enviavam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes da execução, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.

Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festa anual celebrada na Roma antiga em honra a deusaJuno e ao deus Pan. Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.[7]

Outra versão diz que no século XVIIingleses e franceses passaram a celebrar são Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois nosEstados Unidos, tornando-se o Saint Valentine's Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros.[8] Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta do(a) amado(a). Na sua forma moderna, a tradição surgiu em 1840, nos Estados Unidos, depois que Esther Howland vendeu US$ 5000 em cartões do Dia dos Namorados, uma quantia elevada na época. Desde aí, a tradição de enviar cartões continuou crescendo, e no século XX se espalhou por todo o mundo.[9]

Atualmente, o dia é principalmente associado à troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa.

O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países.

Data no Brasil

No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho por ser véspera do 13 de JunhoDia de Santo António, santo português com tradição de casamenteiro.

A data provavelmente surgiu no comércio paulista, quando o publicitário João Doria[10] trouxe a ideia do exterior e a apresentou aos comerciantes. A ideia se expandiu pelo Brasil, amparada pela correlação com o Dia de São Valentim — que nos países do hemisfério norte ocorre em 14 de fevereiro e é utilizada para incentivar a troca de presentes entre os apaixonados.